Site Oficial do Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Mocidade Alegre

Glossário: Conheça as palavras em línguagem Yorubá na letra do Samba Enredo de 2012

Ifá – Orixá responsável pelo destino. O próprio destino. É também o nome de um oráculo africano utilizado como sistema de adivinhação, através do jogo de búzios. Originado pelos povos yorubás, na África (região da atual Nigéria).

Ojuobá – Palavra da língua yorubá que significa Olhos do Rei ou Os Olhos de Xangô. É um título-de-honra conferido no Candomblé para aqueles escolhidos pelo Orixá da Justiça para fazerem valer sua vontade. Os ojuobás são conhecedores dos segredos do axé e verdadeiros guerreiros na luta por uma sociedade mais justa e feliz.

Axé - força vital, energia, princípio da vida, força sagrada dos orixás. Axé é o nome que se dá às partes dos animais que contêm essas forças da natureza viva, que também estão nas folhas, sementes e nos frutos sagrados. Axé é bênção, cumprimento, votos de boa-sorte e sinônimo de Amém. Axé é poder. Axé é o conjunto material de objetos que representam os deuses quando estes são assentados, fixados nos seus altares particulares para ser cultuados. São as pedras e os ferros dos orixás, suas representações materiais, símbolos de uma sacralidade tangível e imediata. Axé é carisma, é sabedoria nas coisas-do-santo, é senioridade. Axé se tem, se usa, se gasta, se repõe, se acumula. Axé é origem, é a raiz que vem dos antepassados, é a comunidade do terreiro. Os grandes portadores de axé, que são as veneráveis mães e os veneráveis pais-de-santo, podem transmitir axé pela imposição das mãos; pela saliva, que com a palavra sai da boca; pelo suor do rosto, que os velhos orixás em transe limpam de sua testa com as mãos e, carinhosamente, esfregam nas faces dos filhos prediletos. Axé se ganha e se perde. (Extraído de Reginaldo Prandi, Os candomblés de São Paulo.)

Kaô Kabecile (Kawó Kabiesielé) – Saudação a Xangô, significa venha ver o Rei descer sobre a Terra.

Xangô – é o orixá do fogo, do trovão, do governo e da justiça. Foi sincretizado com São Jerônimo, santo invocado para se pedir proteção contra os temporais. O poder sobre as intempéries fez de São Jerônimo Xangô... E vice-versa. Também foi sincretizado com São João, pois o fogo, elemento de Xangô, está presente na fogueira deste santo católico.

Iemanjá – Deusa dos mares. Orixá feminino que foi sincretizada com a Nossa Senhora da Conceição (protetora da Humanidade) e Nossa Senhora dos Navegantes. Na mitologia, é mãe da maioria dos orixás.

Oxé – Ferramenta que Xangô carrega. Trata-se de uma machadinha com duas lâminas, instrumento que ele usa para fazer justiça.

Oyó – Cidade da Nigéria que foi capital de um reino séculos atrás, onde originou-se o culto a Xangô.

Rei de Oyo – Uma das formas para se referir a Xangô.

Afoxé – Bloco carnavalesco formado por filhos de santo. Também conhecido como “candomblé-de-rua”. Também é o nome de um instrumento musical.

Ilê – Terreiro de Candomblé (Ilé Axé). Terreiro é o nome que se dá ao templo de candomblé e de outras religiões afro-brasileiras. Nos primeiros tempos, os rituais eram celebrados no quintal de alguma edificação urbana ou numa roça afastada, isto é, no terreiro, ao ar livre. Depois, passou-se a construir um barracão coberto de sapê onde se realizavam as danças sagradas, cômodos para abrigar os altares dos orixás e a clausura, onde se fazem as iniciações secretas. Esse conjunto é chamado ainda hoje de terreiro. O local das danças cerimoniais, do mesmo modo, é denominado barracão, embora seja agora um salão de alvenaria, como as demais dependências. Em yorubá, uma das línguas rituais do candomblé, o templo ou terreiro é chamado de Ilê Axé (Casa de Axé).

Obá de Xangô - Título-de-honra vitalício criado em 1936 por Mãe Aninha no Ilê Axé Opo Afonjá, para homenagear amigos importantes e grandes defensores do terreiro. Jorge Amado ocupou uma das doze cadeiras do conselho dos Obás de Xangô - orixá a que esse terreiro é consagrado. Amado foi condecorado por Mãe Senhora.

 

Outras expressões:

Pelô – abreviação de Pelourinho. Referência à famosa ladeira de Salvador, que serviu de cenário do livro “Tenda dos Milagres” e da minissérie de mesmo nome.

Morada dos Milagres – Trocadilho com o nome do livro Tenda dos Milagres (de Jorge Amado) e a Morada do Samba.


Departamento Cultural

Siga a Mocidade no

Vídeos

Confira o Samba de Enredo de 2015

Shows e workshops

Nos 10 anos de gestão frente à presidência do G.R.C.E.S. Mocidade Alegre, Solange Cruz tem chamado a atenção de empresas de grande envergadura, que à convidam para ministrar palestras para suas equipes.

 Você também pode levar as palestras e workshops da Presidente Solange para a sua empresa. Entre em contato pelos telefones: 3857-7525 e3857-3611 Saiba Mais